Igreja

Aldeia Galega deixou de ser sede de concelho por decreto de 24 de Outubro de 1855, data em que foi suprimido e anexado ao concelho de Alenquer. Dos testemunhos do antigo município de Aldeia Galega, destacam-se alguns monumentos relevantes pelo particularismo de que se revestem, nomeadamente o Pelourinho (classificado de Monumento Nacional por decreto de 16/6/1910) e a Igreja da Misericórdia, que se situam no Largo do Pelourinho e na proximidade da denominada Casa da Rainha.

Arquitectura religiosa setecentista: igreja de planta rectangular, apresenta volumetria paralelipipédica, desenvolvendo-se a cobertura em duas águas. Com pano de muro em reboco pintado e cunhais em cantaria, o edifício apresenta fachada principal a SE, rasgado a eixo por portal de verga recta com emolduramento simples de cantaria apenas animado pela sugestão de pequenos capitéis ao nível das pilastras.

 

O portal é ladeado e encimado por janelas de peito de emolduramento análogo e malheiro de ferro. O edifício tem remate superior definido por cornija continuada acima da qual se eleva, na fachada principal, frontão triangular com óculo ao centro. O interior encontra-se completamente adulterado pelas diferentes utilizações a que o espaço foi sujeito, não sendo já possível o reconhecimento de qualquer elemento pertencente à estrutura primitiva.

Cronologia 

Séc.18 – provável construção da igreja
1989 – o edifício funcionava como arrecadação/adega
1995 – doação do edifício à Santa Casa da Misericórdia de Aldeia Galega da Merceana
2007 – obras de recuperação do edifício e adaptação ao uso de Centro Social e Cultural